Sua plataforma online de comida
vegetariana e vegana.
Conheça

Colunistas

Você está em: Colunistas > Colunas > Klaus Volkmann

Leite adulterado, por quê?

Publicada em 20.10.2015

leite adulterado destaque

Leite adulterado. Por quê? / Foto: Reprodução

Pessoas Lindas,

Será que aqueles que não se importam com os animais se importam com a gente?

De tão absurdos, alguns problemas quanto aos derivados de animais acabam vindo ao conhecimento do grande público.

O leite da vaca em si, sem qualquer adulteração, é um desastre para a nossa saúde. Somos um mamífero com corpo muito menor e nosso crescimento é muito mais lento que dos terneiros e terneiras. Por isso o leite das vacas possui uma proporção e tipos diferente de proteínas, hormônios e gorduras, o que, inevitavelmente, nos leva a ter uma propensão muito maior para desenvolver problemas de saúde como câncer e sobrepeso, quando bebemos o leite das bezerras e bezerros. Somando-se os antibióticos e anti-inflamatórios que chegam a mesa dos brasileiros por serem administrados nos animais para contrabalancear a extrema baixa imunidade justificada pelo estado de depressão dos animais, dadas suas condições de subvida.

Como se não bastassem a poluição dos rios, o extremo consumo de água, os antibióticos, anti-inflamatórios, hormônios e o sofrimento das vacas e suas crias: ainda somos surpreendidos com a adulteração intencional do leite. Formol, soda cáustica, água oxigenada, água sanitária e a lista segue aumentando.

Uma conclusão a que podemos chegar é que aqueles que não se importam com os animais também não se importam com a gente, afinal… também somos animais. Talvez sejamos somente parte de uma engrenagem que visa produzir dim-dim, bufunfa, dinheiro, verdinhas e grana. O que você acha?

Se desejamos alimentos bons para as pessoas que amamos e uma boa relação com o meio ambiente podemos primeiro observar o pequeno espetáculo de mentiras a que somos submetidos. Está tudo ali, encenação e público. Propagandas oferecem formas de pensar e a plateia faz o download sem questionar. Organizações ambientalistas “sem fins lucrativos” aceitam doações da indústria dos derivados de animais e em contra-partida as organizações “ambientalistas” não falam sobre a real causa da falta de água, desmatamento, poluição, extinção de espécies… Acabam fazendo um teatro sobre insignificâncias e distraem o público dos maiores problemas e das soluções muito simples. É o paraíso do sistema capitalista, seres humanos únicos, de criatividade imensurável seguindo adiante no tempo como um rebanho previsível.

Por quê? Talvez seja por sermos uma mistura de potênciais, por nossa criatividade não ter uma direção definida. Se quisermos que ela seja usada de forma positiva precisamos assumir o volante de nossas ações, mas como?

Um caminho é a observação de nós mesmos. Quanto mais nos observamos mais percebemos o quanto somos previsíveis, que reagimos no momento presente de acordo com a reconstrução de nossa história de vida, especialmente da vida de nosso universo interior. Para conseguirmos conquistar mais espontaneidade precisamos conhecer mais e mais as variáveis que condicionam nossa expressão no mundo. As variáveis fundamentais dos seres humanos, desejos e medos, são muito semelhantes para todos nós.

Quem tem conhecimento das variáveis fundamentais pode controlar facilmente as pessoas que não têm este conhecimento. A partir da observação e da descoberta de nossas condicionantes podemos ter uma compreensão mais abrangente da vida e nos tornamos pessoas cada vez mais interessantes e difíceis de manipular.

O conhecimento de nossas variáveis não deixa de ser uma variável, por isso ainda seguimos longe do livre arbítrio, que é um assunto para muitas horas de conversa ;)

Se nós humanos ainda não entramos na era do livre arbítrio então todos vivemos de acordo com as próprias condicionantes e conhecimento maior ou menor delas.

Logo, ao invés de julgar as outras pessoas ou oferecer o download de novas formas de pensar podemos ajudar uns aos outros a encontrar conhecimentos libertários e novas formas de alcançarmos nossos objetivos em comum: equilíbrio, tranquilidade e plenitude.

Além de explorar os animais existem inúmeras outras formas de ganhar dinheiro, talvez não tanto, mas, do que irá adiantar um monte de dinheiro em um planeta devastado?

Beijos com todo Amor e carinho, _/\_

 

Referencias bibliográficas:

CAMPBELL, Colin. The China Study: BenBella Books, 2005

SERVAN-SHREIBER, David. Prevenir e vencer usando nossas Defesas Naturais: Fontanar, 2011

CURY, Augusto Jorge. Inteligencia Multifocal, Cultrix, 2006

Clinica de Oncologia Médica: http://clinonco.com.br/artigos/relacao-do-cancer-com-o-consumo-de-leite-de-vaca.html

Site Bela Gil: http://www.belagil.com/blog/2014/10/26/a-relao-entre-o-leite-de-vaca-e-o-cncer-de-mama